Universidade de Basileia, LHTT. Imagem: Matja Kačičnik

Um dedo de pé de madeira, ou a prótese mais antiga da história humana

O dedo artificial do início do primeiro milénio aC é testemunho raro e elucidativo sobre as capacidades técnicas dos artesão dessa altura

É provável que seja uma das próteses mais antigas da história humana e foi recolhida numa escavação arqueológica levada a cabo por os egiptólogos da Universidade de Basileia.  A descoberta tem quase 3000 anos e veio à luz do dia quando se escavava um enterramento feminino da necrópole de Sheikh ‘Abd el-Qurna perto de Luxor.

A equipa de arqueologia com investigadores de vários países investigou a prótese com tecnologia de raios-X e tomografia computadorizada, tendo sido capazes de mostrar que o dedo de pé de madeira foi várias vezes atado ao pé de seu dono, que provavelmente seria a filha de um sacerdote.

Os investigadores também conseguiram perceber quais os materiais usados ​​e para produzirem esta. Especialistas do Museu Egípcio no Cairo – onde o dispositivo prostético foi depositado após ter sido encontrado. Os arqueólos envolveram ainda na sua investigação o Instituto de Medicina Evolutiva da Universidade de Zurique.

Prótese do dedo do pé de um enterro feminino do túmulo Theban TT95, início do primeiro milênio aC. Crédito: Universidade de Basileia, LHTT. Imagem: Matja Kačičnik

O dedo artificial do início do primeiro milênio aC é testemunho raro e elucidativo sobre as capacidades técnicas de um artesão, ou artista, que estava muito familiarizado com a fisionomia humana. O know-how técnico pode ser apreciado a partir das caraterísticas evidenciadas pela prótese, sobretudo ao nível da mobilidade do dedo e na estrutura robusta da correia que o ata ao pé.

A  prótese foi feita de forma altamente laboriosa e meticulosa, o que poderá indiciar que a menina que  a usou valorizava particularmente o seu aspeto natural, a estética e o conforto de uso, podendo-se afirmar que nessa altura ela já podia contar com especialistas altamente qualificados para fornecer esse tipo de solução.

Comentários
Loading...