Porque se extinguiu o leão-das-cavernas europeu durante o Paleolítico Superior?

Ice age fauna of northern Spain - Mauricio Antó - CC BY 2.5
0 539

Um novo estudo publicado na revista PLoS ONE  tenta esclarecer a relação do homem do Paleolítico Superior com a fauna que o rodeava. Neste período da história humana os homens podem ter desencadeado uma caça massiva ao leão-das-cavernas europeu (ou da Eurásia), o que poderá ter levado à sua extinção.

Caverna de “La Garma.”Crédito: Pedro Saura
Caverna de “La Garma.”Crédito: Pedro Saura

O leão-das-cavernas europeu, provavelmente uma das maiores espécies de leão que já viveu no planeta, extinguiu-se por volta de há 14.000 anos, mas as razões que levaram ao seu desaparecimento ainda não são muito claras.

Os seres humanos do Paleolítico Superior ficaram conhecidos pela sua relação com a caça de carnívoros de porte variado, fazendo estes parte da sua relação com a economia de caça e recoleção que caraterizou estes nossos antepassados que viveram há cerca de 15.000 anos.

Existem muitas provas documentais desta relação antiga do homem com os restantes animais que caçava e que integravam o centro da sua economia e ecologia, mas as evidências arqueológicas da caça ao leão são ainda muito escassas no registo arqueológico.

Para ajudar a preencher esta lacuna, Marián Cueto, Edgard Camarós, Pedro Castaños, Roberto Ontañón, e Pablo Arias, da Universidade de Cantábria, em Espanha, examinaram nove ossos do dedo da pata do leão-das-cavernas fossilizados que foram encontrados na caverna de “La Garma”, localizada no norte da Espanha e que possui uma estratigrafia arqueológica do Paleolítico Superior.

Estes investigadores descobriram que a maioria dos ossos mostram sinais de terem sido modificados pelos seres humanos usando ferramentas de pedra, com uma técnica especializada semelhante ao usado pelos caçadores modernos, que quando esfolam as presas mantêm as garras ligadas à pele.

Estes autores sugerem que os ossos do dedo das patas que analisaram podem ter integrado uma única pele de leão utilizada com a função de uma manta que era colocada no chão da caverna. A gruta de “La Garma” é conhecida por ter sido associada a rituais humanos onde os leões podem ter ocupado o papel de animais simbólicos para os seres humanos deste período.

Embora esta análise não possa evidenciar de forma definitiva de que os seres humanos do Paleolítico Superior caçavam os leões das cavernas por causa das suas peles, o certo é que neste artigo os autores especulam que a caça humana a estes mamíferos poderia integrar uma atividade com significado ritual  e que pode ter sido o principal fator para levar à extinção do  leão-das-cavernas europeu, também chamado de leão da Eurásia.

Com ou sem especulação, a hipótese apresentada pelos cientistas da Universidade de Cantábria não deixa de ser aliciante, porque aponta um fator de transformação ambiental onde o homem surge, desde muito cedo, como o elemento determinante na alteração dos ecossistemas que o rodeiam.

 
Referência: Marián Cueto , Edgard Camarós, Pedro Castaños, Roberto Ontañón, Pablo Arias. Under the Skin of a Lion: Unique Evidence of Upper Paleolithic Exploitation and Use of Cave Lion (Panthera spelaea) from the Lower Gallery of La Garma (Spain). PLOS, 2016 DOI: 10.1371/journal.pone.0163591 
Comentários
Loading...