Contacto com a natureza reduz stress e pressão arterial

0 338

O contacto direto e diário com a natureza tem repercussões com grande dimensão benéfica na nossa saúde mental e física. Quem o afirma é um estudo produzido pela Universidade de Queensland, que chegou à conclusão que apenas 30 minutos semanais a passearmos na natureza pode reduzir em em 7% os casos de depressão e baixar em cerca de 9% a pressão arterial elevada.

As pessoas que fazem longas visitas a espaços verdes têm menores taxas de depressão e uma pressão arterial mais baixa, e aquelas que visitam mais frequentemente esses espaços naturais têm propensão a uma maior sociabilidade e a gerar quadros de maior coesão social.

O trabalho dos investigadores Danielle F. Shanahan, Robert Bush, Kevin J. Gaston, Brenda B. Lin, Julie Dean, Elizabeth Barber e Richard A. Fuller, publicado no passado mês de junho na revista Scientific Reports , prova que uma curta exposição à natureza permite reduzir os riscos de desenvolvimento de doenças cardíacas, stress, ansiedade e depressão.

O estudo também contabiliza o impacto no orçamento da saúde da Austrália. Dado que os custos sociais da depressão neste país são estimados em 12,6 mil milhões de dólares australianos por ano, uma visita de apenas 30 minutos semanais a um parque natural poderia gerar uma significativa poupança nos orçamentos de saúde pública daquele país, sublinha o trabalho de investigação.

Aqui está uma ideia para experimentar também em Portugal, numa altura em que o Orçamento de Estado tenta encontrar cenários de poupanças calmas e sustentadas.

 
Referência:
Health Benefits from Nature Experiences Depend on Dose
Danielle F. Shanahan, Robert Bush, Kevin J. Gaston, Brenda B. Lin, Julie Dean, Elizabeth Barber & Richard A. Fuller
Scientific Reports 6, Article number: 28551 (2016)
doi:10.1038/srep28551 
Comentários
Loading...