Biologia Molecular traz novos contributos para calibrar o relógio da evolução humana

0 272

O processo, as técnicas e as metodologias não são novas, mas a ciência deu mais um passo importante para contar com maior precisão o tempo da evolução humana.

ev-as-smart-object-1Num artigo recentemente publicado na revista “Molecular Biology and Evolution” os centistas Adrien Rieux, Anders Eriksson, Mingkun Li, Benjamin Sobkowiak, Lucy A. Weinert, Vera Warmuth, Andres Ruiz-Linares, Andrea Manica e François Balloux apresentam-se com um conjunto novo de dados que permite aferir com uma maior precisão o processo de evolução e da demografia do passado de praticamente qualquer espécie.

A recente constituição de sequências de ADN mitocondrial permite uma regulação mais directa da árvore filogenética humana. Até aqui os cientistas utilizavam dados de ADN para desenvolver “relógios” moleculares que medem a velocidade com que se processam mudanças no ADN, registando, desse modo, o processo cumulativo das mutações e assim investigar as grandes fases evolutivas de uma determinada espécie.

No processo da evolução humana, por exemplo, esses relógios moleculares quando combinados com a evidência fóssil ajudaram a traçar o “horário” cronológico do último ancestral comum de chimpanzés e humanos, momento situado há cerca de 5-7 milhões de anos atrás, e contribuiu também imenso para traçar ou inventariar o rasto do processo de expansão do ser humano a partir de África, que se verificou por volta de há 100.000 anos atrás.

Mas agora, para melhorar a precisão da leitura dos ramos da árvore da vida humana, o grupo de investigadores liderado por Francois Balloux compilou a amostragem de ADN mais abrangente e ao mesmo tempo a mais precisa que foi obtida até ao momento, constituído-se a mesma por mais 140 genomas mitocondriais completos de humanos modernos (incluído o do Homem de Neandertal) entre um conjunto de 320 disponíveis em todo o mundo. O ADN mitocondrial (mtDNA) é um recurso precioso para os cientistas evolucionistas, porque possui uma alta taxa de mutação.

Usando uma grande variedade de técnicas sofisticadas de calibração, os autores obtiveram uma precisão melhorada do uso de mtDNA, mostrando que é possível alcançar um relógio molecular muito mais calibrado. Com esta nova recalibração, os cientistas passam a poder rastrear, com uma maior precisão do que nunca, a localização no tempo da primeira “Eva” e do primeiro “Adão”, tendo esse rastreio que ser efectuado num amplo e complexo quadro de migrações que levaram ao processo colonizador do planeta por parte dos seres humanos anatomicamente modernos.

Referência: Adrien Rieux, Anders Eriksson, Mingkun Li, Benjamin Sobkowiak, Lucy A. Weinert,Vera Warmuth, Andres Ruiz-Linares, Andrea Manica, François Balloux
Improved Calibration of the Human Mitochondrial Clock Using Ancient Genomes Mol Biol Evol (2014) 31 (10): 2780-2792 doi:10.1093/molbev/msu222
Comentários
Loading...